terça-feira, 17 de setembro de 2019

Percorrer lugares antigos

[regressar onde 14] Percorrer de novo lugares de 1995 é a revisitação de memórias, de vivências, em torno da defesa das gravuras, da perceção, na altura ainda um pouco incipiente, do valor de todo o conjunto do vale. Este passado de ligação, o facto de ter vivido, pessoalmente, uma série de experiências naquela paisagem, condiciona de forma acentuada, um olhar sobre o vale do Côa e os seus elementos significantes. A memória grata do habitar o vale antes da criação do Parque Arqueológico, da pernoita junto dos núcleos das gravuras, hoje, por vários motivos, já não é acessível. Está como que quebrada essa continuidade existencial que na altura era o viver entre o rio, o vale e as gravuras. Contraditoriamente passou a ser possível, em liberdade, o acesso à área da obra da barragem, a que o acesso estava vedado. Mas esta viagem é a da impossibilidade de um regresso, do voltar ao passado perante o espanto do tempo que passa, de tudo o que muda. Não são apenas as paisagens que se transformam, é também o olhar descodificador de quem as lê e interpreta, integra no seu universo vivencial, numa intransmissível escala espácio-temporal. Houve laços que se quebraram: são como as fotografias que apenas nos deixam o pequeno fragmento do tempo do seu registo, mas quase nada informam sobre um antes e um depois, ou o que está para além das margens do seu recorte. [Esta é a última publicação da série Regressar Onde].

dd176-14 - São Gabriel, Vila Nova de Foz Côa. 1996

dd181-14 - Vale do rio Côa, Vila Nova de Foz Côa. 1996

na0285-11 - São Gabriel, Vila Nova de Foz Côa. 1995

Sem comentários:

Publicar um comentário