quinta-feira, 21 de maio de 2020

Ermida

[pst 440] Para norte do Tejo, um povoamento pobre e disperso anuncia as terras do pinhal onde os homens, ou pouco se fixaram, ou não deixaram vestígios de sua presença.

439. Ermida (prox.). Sertã. 17 de janeiro de 1996

quarta-feira, 20 de maio de 2020

Abegoaria

[pst 439] Ao grande interflúvio de areia que se estende entre o vale do Tejo e a ribeira de Sor, corresponde o espaço menos povoado de Portugal. Nos lugares distantes, mais afastados das poucas povoações, encontra-se um montado pouco cuidado. É o que se chamava antigamente a charneca. Árvores pontuam esta terra plana, de silêncio.

438. Abegoaria (prox.), Água Travessa. Abrantes. 31 de julho de 1996

terça-feira, 19 de maio de 2020

Barragem de Montargil

[pst 438] Muitas das barragens construídas a sul do Tejo integravam o desejo do regime do Estado Novo de transformar a agricultura de sequeiro, do Ribatejo e Alentejo, em regadio. Em Montargil ficou submersa uma veiga fértil.

437. Barragem de Montargil. Ponte de Sor. 1 de agosto de 1996

segunda-feira, 18 de maio de 2020

Valada

[pst 437] A aldeia de Valada do Tejo desenvolve-se linearmente ao longo de um dique de contenção de cheias, que a separa do rio. O topónimo parece derivar de Balata, com o qual Idrisi designava a fértil planície aluvial do Ribatejo. Segundo Fernão Lopes, a corte do rei D. Pedro reuniu aqui diversas vezes. A igreja, de invocação de Nossa Senhora do Ó, foi concluída em 1528 e profundamente remodelada em 1901.

436. Valada. Cartaxo. 15 de janeiro de 1997

domingo, 17 de maio de 2020

Avis

[pst 436] O lugar, um cabeço então deserto próximo da confluência da ribeira de Avis com a ribeira de Seda, foi doado, por D. Afonso II, aos Freires de Évora, em 1211. Algum tempo depois, o mestre D. Fernando Enes inicia a construção de um mosteiro fortificado que vem a ser, em 1223, sede da nova Ordem de Avis. O vale do Sorraia, depois de dissipado o perigo muçulmano, passou a ser uma importante via de ligação entre Lisboa e Avis. Tanto pelas características do lugar como pela arquitectura, Avis anuncia já a terra alentejana.

435. Avis. 19 de março de 1996

sábado, 16 de maio de 2020

Castelo de Almourol

pst 435]  Abandonara Portugal para defender, com os exércitos de cruzados, os Santos Lugares. Quando regressou,  Gualdim Pais foi mestre da Ordem dos Templários. Ao lado de D. Afonso Henriques levou a cargo a conquista, o povoamento e a defesa do Reino, durante os séculos XII e XIII. Fundou vários castelos como o de Pombal, Tomar, Idanha, Monsanto e Almourol. Este último, construído numa ilha do Tejo, é um dos mais singulares edifícios da arquitectura militar portuguesa.

434. Castelo de Almourol. Vila Nova da Barquinha. 16 de agosto de 1995

quinta-feira, 14 de maio de 2020

Salvaterra de Magos

[pst 434] Salvaterra de Magos foi terra de predilecção de Reis. Aqui existia uma muito bem recheada Coutada Real, um palácio sumptuoso com belos jardins e um teatro onde, entre 1765 e 1791, foram cantadas 22 óperas, pelas maiores figuras líricas da época. Em 1824 o marquês de Loulé é assassinado em circunstancias pouco claras e, pouco depois, um violento incêndio destrói, quase por completo, todo o conjunto arquitectónico, apenas ficando de pé a capela. A corte deslocava-se a Salvaterra por via fluvial, e desembarcava no cais aí existente.

433. Salvaterra de Magos. 12 de janeiro de 1996